Thursday, 28 February 2013

A minha experiência médica na Holanda

Houve muita tensão e muita ansiedade no último mês e meio. O basalioma que me apareceu no nariz há cerca de 1 ano e meio, e que resultou numa cirurgia para removê-lo, voltou a aparecer - ou melhor, não foi completamente extraído.

Em meados de Janeiro, notei algo no nariz e marquei uma consulta no meu huisarts. Chegada lá, mostrei todo o historial que trouxe comigo (carta do cirurgião plástico da Madeira e resultado da biópsia que foi feita após a cirurgia). A médica examinou-me e encaminhou-me para uma consulta de dermatologia no hospital Onze Lieve Vrouwe, no dia seguinte.

Na consulta de dermatologia, fui examinada por diferentes médicas que decidiram retirar imediatamente uma amostra de tecido cutâneo para biópsia. Fui informada que demorava cerca de 2 semanas para receberem o resultado da biópsia e marcaram-me uma consulta telefónica para falar sobre o resultado da biópsia.

No dia marcado, ligaram-me do hospital informando que o resultado da biópsia confirmava as minhas suspeitas e que me recomendavam marcar uma consulta na MOHS Klinieken - aparentemente esta clínica tem um procedimento inovador e muito mais eficaz, pois é feita na altura da cirurgia uma biópsia do tecido removido que já informa se é necessário remover mais tecido ou não.

Liguei para a clínica e consegui marcar consulta para a semana seguinte, onde fui analisada por um dermatologista que me aconselhou a fazer a cirurgia o quanto antes e explicou-me o procedimento. No final da consulta, foi-me feita uma visita guiada onde me mostraram as salas de cirurgia e a sala onde ficaria a aguardar pelo resultado da(s) biópsia(s).

A cirurgia ficou marcada para hoje. Para o dia em que deveriamos estar a mudar de casa e de cidade.

Às 9h15 estava lá e fui encaminhada para a sala da cirurgia. O jeitoso ficou na sala de espera. A enfermeira era extremamente afável e esteve sempre a conversar comigo. Depois do cirurgião ter chegado, creio que tudo durou uns 15 minutos. Foi-me colocado um penso no nariz e encaminharam-me até à sala de espera onde ficámos a aguardar pelo resultado da biópsia, junto com outros pacientes na mesma situação, o que poderia demorar até cerca de 1 hora. Tinhamos café, chá e bolachinhas à nossa disposição.
Passados uns 45 minutos, creio eu, a enfermeira veio informar que a biópsia revelou que tinha sido quase tudo removido e que, em princípio, só seria necessária mais uma intervenção cirurgica. Encaminhou-me novamente para a sala de operações, nova anestesia local, e daí a pouco já estava outra vez na sala de espera com o jeitoso. Neste tempo de espera, fomos jogando xadrez pois tinha lá um tabuleiro.
Quando a enfermeira voltou, informou-nos que a segunda biópsia revelou que tinha sido tudo removido.
Voltei à sala de operações, onde o cirurgião informou-me que, como já tinha uma cicatriz no nariz da cirurgia anterior, não podia "coser" a pele já cicatrizada. Então, desta vez, a ferida ficou aberta para cicatrizar naturalmente. Foi aplicada uma pomada antibiótica na ferida (e deram-me, inclusive, um tubo de pomada nova para não ter que ir ainda à farmácia, como estava em mudanças) e colocado um penso por cima.

Saímos de lá pela hora do almoço. Fomos almoçar ao Wagamama que tem lá perto da clínica e, finalmente, respirámos de alívio.

E agradeço mais uma vez ao meu jeitoso, que tanto há 1 ano e meio como agora, apoiou-me incondicionalmente e esteve sempre ao meu lado, ajudando a suportar e ultrapassar tudo melhor... 


Aproveito aqui para reforçar uma dica que nos foi dada por um casal de portugueses que já cá estão há uns 6 anos, relativamente ao sistema de saúde holandês e que já pude comprovar pela minha experiência médica neste país: a partir do momento em que passamos a ser acompanhados por um especialista, estamos em óptimas mãos! A Holanda tem excelentes especialistas, nas diversas áreas. O problema mesmo é chegar até eles, pois temos que passar pelo huisarts primeiro. Ao contrário do que acontece em Portugal, não podemos marcar uma consulta directamente com um médico especialista - primeiro temos que ir com o nosso médico de família que vai avaliar o nosso caso e, só na eventualidade deste achar que está para além das suas capacidades, somos então encaminhados para um médico da especialidade. O problema é que, pelos relatos que temos ouvido, os huisarts nem sempre acertam no diagnóstico!
A dica do tal casal português foi, suncintamente, exagerar! Exagerar na dor, na dimensão do problema. Se nos perguntarem quanto dói na escala de 1 a 10, e até acharmos que é um 6 ou 7, dizer sempre 15!
Neste caso, até posso dizer que o meu huisarts não levantou muitas questões e agiu com prontidão. Mas fica aqui a dica ;)

Monday, 25 February 2013

12ª semana e 2ª ecografia

Hoje fui fazer mais uma ecografia. Desta vez vi uma perninha e pézinho no ar e pedi para ouvir o o coração do bebé a bater - é, realmente, algo emocionante!


Sunday, 24 February 2013

1º aniversário na Holanda

Foi um dia de aniversário diferente dos últimos anos. Longe da família e amigos mais chegados e num fim-de-semana em que estamos em mudanças.
Mesmo assim, foi um dia bom. Passámos a tarde com a nossa "família" daqui e isso aquece sempre a alma, mesmo estando a nevar lá fora :)


Wednesday, 20 February 2013

Farewell Winter, you won't be missed!

E finalmente já está a amanhecer quando saio de casa pelas 7h30 para ir trabalhar! Já nem sabia o que isso era, depois de ter passado os últimos meses a sair de casa ainda de noite.
Esta manhã, voltei a sentir-me uma pessoa normal ao invés de pensar que raios ando a fazer da minha vida.
Parece que a neve também deu de frosques! E já se ouvem os passarinhos a chilrear :)
E é assim que sabemos que o pior já passou e que só pode melhorar daqui prá frente!

Sunday, 17 February 2013

Home cinema

Ontem vimos The Impossible - um filme baseado no caso verídico de uma família que foi atingida pelo tsunami, em 2004 (e já se passaram quase 10 anos sobre esta tragédia?...)
Excelentes interpretações, comovente, altamente recomendado!
  

Saturday, 16 February 2013

Do Inverno, Haarlem e o Neves

Tenho andado meio afastada deste blog. Costumo espreitar os blogs amigos de vez em quando mas a minha vontade de escrever tem sido pouca. Porque acho que ultimamente não teria nada de positivo ou agradável para comentar. E deixo-me ficar quieta no meu canto.
Os winter blues estão a atacar forte e feio. Ando em modo sobrevivência.
Mas hoje foi um bom dia. Hoje fomos até Haarlem com a Carolina e o Bruno. Foi um dia muito bem passado, um dia português, com boa gente :)
E hoje também nos apercebemos que este Inverno não teria custado tanto a passar se já tivessemos um carro cá.
Até há uns meses atrás, éramos da opinião que um carro aqui não faz assim tanta falta - mas depois deste Inverno, engolimos essas palavras em seco. A verdade é que, morando no centro da cidade, também torna-se um pouco complicado ter um carro por causa do estacionamento. Mas lá que tinha dado jeito, lá isso tinha!
O próximo Inverno já há-de correr melhor :)
E também hoje fomos, pela primeira vez, "ao Neves" - a cereja no topo do bolo!
O sr. Neves tem um armazém em Halverwege (que é como quem diz a "meio caminho" entre Haarlem e Amsterdão) onde podemos encontrar muitos produtos portugueses. E, de repente, parece que já não estamos na Holanda: ficamos embasbacados ao vermos as embalagens familiares que já não viamos há meses! E, à nossa volta, todos estavam a falar em português!
Tentámos nos controlar porque o nosso congelador já estava meio cheio e vamos ter mudanças no final deste mês (o jeitoso já queria trazer logo 3 garrafas de azeite! sim, porque o azeite daqui não tem sabor nenhum) mas ainda assim veio uma garrafinha de azeite extra-virgem, um bacalhau inteiro, Sunquick manga, Chocapic chocolate e Nestum mel, lixívia (outra ave rara por estas bandas) e mais umas coisinhas. São estas coisas que fazem o dia de um emigrante português! :)

Friday, 15 February 2013

Home cinema

Gosto de filmes sobre vampiros. Acho que desde que li o Dracula de Bram Stoker quando era adolescente e vi, uns anos mais tarde, o filme realizado pelo Francis Ford Coppola (e que me perdoem ambos por estar a mencioná-los no mesmo post em que estou a falar do Twilight) passei a gostar destas histórias vampirescas. E, embora o Twilight possa deixar muito a desejar, estava desejando de ver o último filme da saga. Não foi nada de especial mas está visto :)

 

Monday, 11 February 2013

10ª semana e 1ª ecografia

Aos 2 meses e meio, fomos fazer a primeira eco.
O nosso "ervilhinha" (como é carinhosamente chamado cá em casa) de ervilha já não tem nada! Mede 30,7 milímetros: vimos uma cabecinha e uma barriga redondinha, perninhas e bracinhos já a mexerem!!!
Saímos de lá completamente embasbacados :)


Thursday, 7 February 2013

Porque Português anda na penúria e Holandês tem vida boa?

Ultimamente ando muito tentada a deixar-me levar por um cliché e responderia: porque os Holandeses são forretas!
Dois exemplos apenas: na empresa onde trabalha uma amiga, uma multinacional onde estão muitos Portugueses e Brasileiros, cada um contribuiu com 20€ quando soube que uma colega estava grávida para lhe oferecer algo. Para a composição desse "algo" escolheram alguns dos items mais caros da lista (como o aparelho de tirar leite que custa bem mais de 100€) com a intenção de aliviar um pouco as despesas iniciais que se tem com a chegada de uma criança.
No departamento onde trabalho, maioritariamente com Holandeses, também tenho uma colega grávida. E cada um contribuiu com 2,50€ para lhe oferecer uma pedra (tipo um calhau branco) que dizia algo do género "Parabéns, é um rapaz" e duas camisolinhas de algodão.


Segunda situção: em Novembro do ano passado foi o aniversário da minha colega (por acaso, essa mesma que esta grávida). Lembro-me que na altura, quando lhe perguntei se tinha planos para aquele dia, ela comentou que tinha convidado a família mais próxima para comer uma sopa. Fiquei meio aparvalhada mas como ela é mesmo meio estranha, não liguei muito. Até que este mês somos convidados por um casal Holandês, também pela ocasião de aniversário, para ir comer... sopa. E no convite sugerem que os convidados levem alguma coisa para comer.

Só tenho a dizer que ainda prefiro à boa maneira portuguesa... pobres mas felizes e sempre prontos a ajudar o próximo!

Friday, 1 February 2013

E se o dinheiro não existisse?

Entrámos no mês de Fevereiro, do meu aniversário :) e cá fica o vídeo do mês!  


Lembro-me bem do que gostava de ter feito quando saí da universidade - e que só não fiz mesmo por estar presa a este sentimento de necessidade de estabilidade financeira.
Hoje, passados 10 anos, a minha escolha iria para algo diferente... algo que ainda considero um sonho perfeitamente alcançável :)