Thursday, 11 July 2013

Custos com a chegada do bebé

Isto de viver na Holanda tem as suas vantagens – as nossas despesas com o quarto do bebé e afins têm sido muito reduzidas até agora.
Ao contrário daquilo que via em Portugal, em que se gasta uma pequena fortuna para comprar tudo novo (seja para o bebé, seja para as crianças em idade escolar), os holandeses têm por hábito dar e/ou vender aquilo de que já não precisam. E outros expats que vivem na Holanda vão adquirindo o mesmo hábito.
Foi assim que, por mero acaso, vi num grupo do Facebook que um casal de portugueses que mora em Lelystad tinha um conjunto de alcofa, carrinho de passeio e maxi-cosi de que já não precisam e perguntavam se alguém estava interessado – junto com isso, ainda nos deram o saco muda-fraldas, uns conjuntos de lençóis para berço, cobertores, fraldas, algumas roupas e brinquedos.
Do mesmo modo, a minha supervisora disse-me que ainda tinha o parque do filho de que já não precisava – era só passar por casa dela para ir buscá-lo.
O berço, comprámos em 2ª mão por cerca de um terço do preço, através de um site holandês, a um casal que vive no centro de Utrecht. E só pagámos pelo berço porque achei aquele modelo específico prático pois dá para transformar em cama – caso contrário, também haviam outros berços usados e em boas condições para dar a quem desse jeito.
Comprámos, isso sim, um roupeiro novo para as roupas da Maria mas apenas porque aqueles que encontrava à venda em 2ª mão (por preços bem acessíveis até) já estavam armados, o que dificultava o transporte.
No outro dia, um colega que tem uma menina pequenina, abordou-me na cantina para dizer que ainda tinha em casa a cadeira onde a mulher dava de amamentar à filha; não a usavam mais e perguntou-me se eu já tinha uma e se estaria interessada.
Outra vez, fui à pedicure (creio que era apenas a 3ª vez que lá ia e nem falamos muito porque a senhora não se sente muito à vontade a falar em inglês) e mal cheguei disse-me logo que tinha estado a dar uma arrumação no armário e encontrou a bomba tira-leite; estava ela a pensar quem conhecia que pudesse dar-lhe uso e lembrou-se de mim – é só esterelizá -la e está pronta a ser usada.
E é assim que funciona neste país, onde o salário mínimo nacional roça os 1.500 euros mensais mas ninguém atira dinheiro ao ar nem compra algo só porque o vizinho também tem ou por pura ostentação. Aliás, noto mesmo uma expressão de satisfação (diria até quase de felicidade) no rosto das pessoas quando nos dão estas coisas; parecem sentir-se genuinamente bem com esta “transferência” de bens.
Chamem-nos forretas mas estes valores são importantes para nós e é com base neles que queremos educar a Maria: não viver para as aparências, não ser materialista, não querer mostrar o que não se tem ou não se precisa ter. Não, não se trata de nenhuma lavagem cerebral depois de quase ano e meio de Holanda – já partilhávamos esta linha de pensamento antes de nos mudarmos para cá, apenas não conheciamos muita gente na Madeira que a partilhasse (especialmente na prática). Aqui, o lema não é gastar enquanto se tem mas sim poupar o que se tem. E não porque se tenha pouco. Os mais ricos gostam tanto das promoções no supermercado quanto os menos ricos. É uma questão cultural.

10 comments:

  1. Ângela, dás-me licença que faça chamada de atençào para o teu post? Acho que é importante divulgar esta experiência.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Claro que sim, acho que e algo muito positivo :)

      Delete
  2. Não sabia que eles tinham essa boa vontade em dar.Aproveita bem, pois poupa-se imenso. No meu caso, uma amiga emprestou-nos a alcofa, o parque, espreguiçadeira e andarilho e deu-nos imenso jeito.
    beijinhos e descansa sempre que possas, porque estas últimas semanas são cansativas.
    beijinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. E verdade e da mesmo uma grande ajuda! E como a nos nao importa nada se a bebe tem tudo em cor-de-rosa ou as bolinhas coloridas, estes gestos sao muito bem vindos, ate porque muitas coisas serao usadas apenas por um curto espaco de tempo. E depois havemos de passa-las a quem faca jeito tambem :)
      Sim, o descanso e cada vez mais precioso nestas semanas, especialmente com o calor!

      Bjinhos

      Delete
  3. Ola!
    Posso deixar dois conselhos?

    As bombas de leite devem ser de uso pessoal. As unicas excepcoes sao as de uso hospitalar ("closed system") que tambem se podem alugar e depois compras um kit novo de pecas so para ti. Como exemplo tens a Medela Simphony, mas como custam uns milhares sao mesmo so para alugar. A esterilizacao caseira nao 'e suficiente. Por isso espera pelos conselhos da kraamzorg/ parteira depois do parto. As vezes elas mandam-nos alugar uma bomba hospitalar electrica e dupla para combater a baixa de peso inicial dos bebes, mas tambem te podem recomendar um modelo mais barato (electrica, dupla, manual, etc) de acordo com os teus planos de amamentacao.

    Como medida preventiva de SIDS, tambem recomendam comprar um colchao novo quando o berco e' em segunda mao.

    Nos tambem recebemos coisas usadas de amigos...existe um babyboom de bebes portugueses eheheh.

    Que corra tudo bem e aproveita o servico de kraamzorg
    ;)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá!

      Conselhos são sempre bem vindos :)
      Em relação à bomba tira leite, estava um tanto reticente quando à utilização de uma usada. Por acaso a kraamzorg vem cá amanhã e vou aproveitar para abordar o assunto ;)
      E o colchão é claro que vai ser novo! Nem para mim se sou fã de colchões usados :P

      Bjokas

      Delete
  4. Olá tb sou da Madeira. É bem verdade o que dizes sobre as pessoas às vezes quererem só porque sim ter td novo e mostrarem mtas vezes aquilo que não têm. Mas acho que como madeirense as coisas estão a mudar, a crise veio "ensinar" muita coisa a muita gente. Mas assim, sinceramente certamente se são coisas de higiene pessoal (como por ex. bomba tira leite, etc)a verdade é que acho que não estaria mt interessada. Eu tb sou da opinião que devemos partilhar ao máximo..Oxalá qdo estiver gravida tenha gente a emprestar-me essas coisas lol. Aqui tb já sites como o"custo justo, ectc" que vendem em 2ª mão e acho uma boa aposta!

    ReplyDelete
  5. Boas,somos um casal com um bebé de 7 meses ,aqui em portugal estamos os dois desempregados ,procuramos trabalho fora de portugal,se souber de alguma coisa ,para limpezas ,fabricas ,fazemos qualquer coisa ,temos a mulher 43 anos e o homem 51 anos.Nosso contacto mail é alice2a.cacai@hotmail.com.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá Ana, enviei email para alice2a.cacai@hotmail.com

      Delete