Friday, 29 January 2016

The terrible two

Tenho lido e ouvido dizer muita coisa sobre a terrível fase dos 2 anos que põe muitos pais a arrancar cabelos! Não é fácil, não senhor.
Para mim, começou com o atirar as coisas ao chão, dizer Não a tudo (mesmo antes de ouvir a pergunta), birras e mais birras, agora entrámos na fase do Meu!
Penso que deve ser uma altura extremamente desafiante para as crianças porque querem provar a elas mesmas que já são capazes de fazer certas coisas do dia-a-dia sozinhas, e frustrante em simultâneo, pois já conseguem expressar-se através de palavras mas nem sempre conseguem fazer-se entender. E como se isso não bastasse numa língua ainda tem o facto de, às vezes, a Maria estar a dizer-nos alguma coisa em Holandês e nós simplesmente não percebermos... 

Mas vamos lá a exemplos práticos - e esta manhã foi cheia deles:

- birra ao fazer as papas da Maria porque acrescentei mais um pouco de farinha e dei uma mexida com o garfo antes de lhe passar o garfo (a Maria já mexe as papas sozinha). Solução: tive que deitar mais uma coisita de farinha e deixar ser ela a mexer sozinha.

- birra antes de começar a comer as papas porque puxei-lhe as mangas para cima. Solução: após uns minutos de choro, Maria puxou as mangas para baixo só para voltar a puxá-las para cima sozinha.

- birra ao acabar de comer as papas porque tirei-lhe o babete antes dela comer a última colherada. Solução: quando finalmente percebi o motivo de tanta choradeira e revolta, voltei a por-lhe o babete e lá ela comeu a última colher de papas - e então aí sim, já lhe pude tirar o babete.

Esta manhã foi assim. Há dias quase que ia cometendo o "crime" de partir uma bolacha a meio em vez de lhe dar a bolacha inteira (uffaaa, safei-me dessa por pouco) e os exemplos são intermináveis.
Vale que tento pôr-me no lugar dela, tento manter a calma e acalmá-la (até a um certo ponto que também não sou de ferro) e ainda consigo rir no meio disto tudo!

Monday, 25 January 2016

Good things are coming

E hoje, finalmente, quando saí do escritório pelas 17h30, o sol ainda estava a se pôr.
Já não era dia; mas também ainda não era noite.
Obrigada aos deuses! 

Do fim-de-semana

Este fim-de-semana começou com uma girls night in na Sexta. O jeitoso não ia estar em casa e então a Sofia e a Carla vieram até lá a casa (em vez de sairmos porque não tenho a certeza se a Maria já passa por maior de idade nos pubs e achei melhor não arriscar). Pizza, vinho e muita conversa proporcionaram uma noite bem passada :)
No Sábado de manhã, cheio de sol!, peguei na Maria e fomos ter com a Carla e o Afonsinho que se entreteram a brincar durante imenso tempo no cantinho das crianças na Burgerij situada na Estação Central. Entretanto, o resto do pessoal veio ter connosco.
Fomos até ao topo do Nemo ver a vista mas estava demasiado vento e era daquele que parece cortar a pele de tão frio!
Seguimos para o La Place, no topo da Biblioteca pois ficava mesmo ali ao lado e lá dentro ficariamos quentinhos. Vergonhosamente, já cá estou há quase 4 anos e ainda não tinha estado nem no Nemo nem na Biblioteca.
Bem, a Maria e o Afonso fartaram-se de correr lá dentro (e nós atrás deles). Entretanto o jeitoso veio ter connosco e trouxe com ele a Cátia e o João.
Dali seguimos para casa. Foi um dia em cheio!
Domingo já foi um dia mais caseiro e para descansar. Depois do almoço, ficámos no sofá a ver um filme (fizémos a maratona dos Hunger Games entre Sabado e Domingo) enquanto a Maria fazia uma nana - oh bless these moments...!

Tuesday, 19 January 2016

Really Yahoo??

app do Yahoo diz que esta manhã estão - 6°C.
Mais ainda: feels like - 10°C!!
Tás no gozo comigo Yahoo??!
Ainda nem estou a usar leggins térmicos por dentro das calças...! Devo estar a ganhar calo, só pode.

Sunday, 17 January 2016

Proud

Achamos que devemos estar a fazer alguma coisa certa com a educação da nossa filha quando vêm amigos para lanchar e, quando vamos sentá-la na cadeira dela à mesa, ela diz muito depressa que aquela cadeira é para o outro menino que é mais pequeno...

Com o 'tio' Cristiano e o Afonso

Thursday, 14 January 2016

Girls night out

A primeira de 2016 e iamos festejar com uns cocktails antes do jantar. Após algum tempo à procura de um cocktail bar que aparecia no Google Maps mas não no local indicado, fomos bater a um Irish pub... que também fazia cocktails :)

Confesso que por mim já tinha ficado por ali na conversa e
 a tomar Cosmopolitans o resto da noite!


Estava imenso frio nesta noite e a vontade de estar na rua é muito pouca ou nenhuma.
Mas cheira-me que vou voltar ali, tanto ao pub quanto ao restaurante!
E pouco depois de ter chegado a casa, começou a nevar!

Monday, 11 January 2016

Do final do meu contracto de trabalho

Na semana passada recebi da parte dos Recursos Humanos da empresa onde trabalho, a renovação do meu contracto de trabalho para assinatura.
Hoje, 1 mês antes do término, iamos assiná-lo.
Hoje de manhã, a directora-geral convocou-nos para uma reunião para informar que recebeu um email ontem (Domingo) do head office a informar que é para fechar a empresa aqui na Holanda. Já o queriam feito até o final deste mês! Assim, sem mais nem menos. Curto e seco.
Fomos todos apanhados de surpresa.
Hoje foi um dia em pouco se falou e pouco se riu no escritório.
O meu contracto de trabalho, obviamente, ja nao sera renovado. Dia 11 de Fevereiro sera o meu ultimo dia nesta empresa.

Tuesday, 5 January 2016

Handcraft

Resultado final das actividades matinais dedicadas ao Natal:



O outro era um postal de Natal para os avós que só terminámos já em 2016 e por isso entregámos logo e nem acabámos por nem tirar foto.

Monday, 4 January 2016

Do Natal e visita dos meus Pais

Natal e Passagem d’Ano passados em Amsterdão na companhia dos meus pais e dos amigos Portugueses que também ficaram por estas bandas.
Os meus pais vieram cá por 2 semanas e, claro está, com eles veio também a minha Xica! A Xica está a ficar velhinha, faz 12 anos em finais de Janeiro, mas continua a ser uma cadela espertalhona e nada lhe escapa. Como tinha saudades de tê-la por perto, das brincadeiras, de sentir aquele calorzinho nas minhas pernas quando estou no sofá ou até na cama... E a Maria que adora cães, é claro, adorou a presença da Xica!
Tirei 2 dias de férias na penúltima semana de Dezembro e mais 2 dias na última semana – os últimos de 2015. Com dias feriados e fins-de-semana pelo meio, os meus pais tiveram companhia a maior parte do tempo que cá estiveram.
Tive um bocado mais de chamadas e emails de trabalho do que estava à espera e isso irritou-me um bocado – não tiro férias para trabalhar.
Mas enfim, desta vez, a primeira em que os meus pais vêm e estamos a morar em Amsterdão, quis mostrar-lhes um pouco melhor a cidade em si. Já cá tínhamos vindo aquando das visitas anteriores, mas tinha sido apenas visitas de 1 dia. Portanto, eles já tinham feito a viagem de barco pelos canais, conheciam lugares como a Dam ou a Leidsenplein e tinham visitado o Red Light District.
Como era a altura do Natal e havia pista de gelo e outras atrações, voltámos a percorrer a Leidsenplein e a Museumplein, fomos ao Mercado das Flores e daí fomos andando até à Dam e finalmente à Estação Central de Amsterdão.
Noutro dia, apanhámos o ferry na Estação Central e fomos tomar um café ao Eye para vermos a cidade de outra perspectiva.
Aproveitando o Amsterdam Light Festival, no 1º dia do ano fomos fazer um passeio de barco pelos canais ao fim da tarde – confesso que fiquei um pouco desiludida... esperava mais. E ter uma filha com 2 anos que acha muito mais interessante andar aos pulos para cima e para baixo nos degraus do barco também não me ajudou muito a apreciar o Light Festival com mais atenção.
Os primeiros dias foram para lhes mostrar mais a zona onde estamos a morar agora, também de modo a que ganhassem sentido de orientação pois os meus paisjá  estavam habituados e conheciam bem a zona onde morávamos antes, em De Meern.
E no último dia apanhámos o comboio e fomos então a Zandaam.
Tal como se estivessse em Portugal, fizemos a nossa Ceia de Natal, houve muito bacalhau, econvidámos  amigos de Nieuwegein para jantarem connosco.
Tambem tal como se estivessemos em Portugal, o dia de Natal foi passado em casa, em família  (com a família “de sangue” e a dos nossos amigos Madeirenses que cá estão e que são parte da nossa família cá) a comer e beber.
A passagem d’ano foi mais calma e acabámos por não sair.
Na madrugada do dia 4 fui acompanhar os meus pais e a Xica ao aeroporto.
Fiquei com eles até passaram pelo sistema de segurança. Cheguei a casa gelada e enfiei-me na cama por meia hora pois o despertador já ia tocar daí a pouco. A Maria estava na nossa cama. Quando acordou, disse-lhe que a Avó, o Avô e a Xica já tinham voltado para casa no avião. O meu coração partiu-se ao ver aquela expressão  mista de confusão e tristeza...