Saturday, 30 April 2016

E Abril já passou...!

Estou decidida a pôr este blog em dia. O tempo é escasso, as fotos não são muitas, mas as recordações são para guardar.
Durante estes meses em que estou sem trabalhar e em que a Maria só vai à creche 2 dias por semana, grande parte do meu tempo e atenção vai inevitavelmente para a Maria. Ela está numa fase deliciosa, em que notamos mudança e evolução quase diariamente; em que finalmente conseguimos estabelecer algum diálogo e nos entendemos; e onde as brincadeiras tornam-se cada vez mais divertidas.
Tento fazer com que esteja rodeada de crianças o mais possível. Fomos com frequência ao parque infantil, mesmo estando frio, às Boerderij das redondezas e convidámos amiguinhos para playdates. Fizémos bolos juntas, tive uma ajudante para arrumar a casa, fizémos sessão de manicure e pintámos as unhas da mesma cor, continuamos a ir aos children friendly cafés como um recurso desesperado de sair de casa nestes dias de Inverno em plena altura de Primavera (cadê ela??). E se o tempo o permite, vamos para a rua fazer desenhos no passeio com giz colorido (adoro este hábito daqui!).
No final do mês ainda tivémos o Koningsdag que passámos aqui na nossa zona - o sol começava a aparecer mais por esta altura e a temperatura começava a subir muito timidamente...




Com o Afonso





Com o Afonso



No parque infantil junto à Kinderboerderij


No parque infantil do Erasmuspark


"De pequenino é que se torce o pepino"

Isto de ter uma menina....


 Café Belcampo, na Biblioteca do De Hallen



 Com a tita Carla

No Suiktertantes Café junto à Kinderbroerdrij em Bos en Lommer



Koningsdag no Westerpark


Saturday, 9 April 2016

E é assim que eles colocam os pais em situações embaraçosas

Vinhamos para casa de metro, da housewarming party de uns amigos.
Conforme as pessoas entravam e saiam do metro, Maria - que ia sentada ao meu lado - "metia conversa" com toda a gente que se sentava por perto. Embora um pouco cansada, estava bem disposta e iamos na brincadeira.
Às tantas, senta-se no meu colo e ouço/sinto um estrondoso e mal-cheiroso "pum" na minha perna. Vais fazer caca? - pergunto-lhe em Português, pois ainda nos faltava mais de meia hora para chegar a casa. Olha que só podemos mudar a fralda quando chegarmos a casa.
E lá ela levanta-se do meu colo, põe-se de pé na cadeira virada para o casal que estava sentado atrás de nós e com quem tinha estado na brincadeira, e diz em alto e bom som: Ik kan niet gepoept! - que é como quem diz, não posso fazer caca!
Embora o tempo verbal não me pareça o correcto, a mensagem foi passada para a outra língua. E esta Mãe riu-se e nem olhou para trás...